22 de nov de 2013

Resenha: Seis Coisas Impossíveis, de Fiona Wood



Título original: Six Impossible Things
Editora: Novo Conceito | Páginas: 272
Ano de lançamento: 2013
ISBN: 978-85-8163-325-1
Seis Coisas Impossíveis é um lançamento de outubro desse ano da Editora Novo Conceito. Escrito pela australiana Fiona Wood, que é formada em Artes e é roteirista de TV, Seis Coisas Impossíveis é o livro de estreia da autora, lançado originalmente em 2010.

Nosso personagem principal e também narrador é Dan Cereill. O garoto de 14 anos está passando pela pior fase de sua vida. Seu pai faliu, assumiu que é gay e se separou de sua mãe, tudo de uma vez só! A casa que a família morava é tomada pelo banco e leiloada. O garoto vai morar com sua mãe numa casa antiga da tia-avó dela que faleceu. Sua mãe apenas tem o direito de usufruir da casa enquanto estiver viva, pois após isso a casa será tombada pelo Patrimônio Histórico. Agora sem pai, com a mãe desempregada, sem grana, sem casa própria e o conforto que estava acostumado, Dan ainda tem que encarar uma nova escola. Em meio a tudo isso, surge uma bela "distração" para ele: Estelle, a vizinha por quem ele se apaixona. É aí então que Dan cria uma lista de seis coisas impossíveis:


1. Beijar Estelle
2. Arrumar um emprego
3. Dar uma animada na mãe
4.Tentar não ser um nerd/loser completo
5. Tentar falar com o pai quando ele liga
6. Descobrir como ser bom

A narrativa do livro é muito leve e divertida. A leitura flui muito bem e meio que despretensiosa, apesar de um cenário bem conturbado. Apesar de uma autora mulher (nesse momento eu presumo que não deve ser fácil para uma mulher já adulta personificar um garoto de 14 anos), a narrativa de Dan convence, até porque ele ainda é um "homem em formação," se é que posso dizer assim. Nesse pequeno caos que sua vida se tornou, vemos ele ter raiva do pai e até da mãe, buscar um referencial masculino para aprender coisas que seu pai deveria estar o ensinando, descobrir coisas sobre Estelle de uma forma que o envergonha, lidar com as pessoas da escola (incluindo o valentão Jayzo) e arranjar um emprego. Entre tudo isso, temos bons momentos do Dan com Howard, o cachorro poodle da tia-avó de sua mãe que "veio junto" com a casa. O cão que parecia ser só mais um problema, se torna um bom amigo e até conselheiro do garoto.

A tradução me incomodou um pouco. Há adaptações feitas para a realidade brasileira, o que acho totalmente desnecessário. Quando a gente lê um livro, espera descobrir coisas novas, culturas diferentes, referenciais diferentes... certo? Certo! Mas quando se troca um sobrenome popular da Austrália por "Da Silva" (provavelmente foi isso que aconteceu), a tradução me priva de saber qual sobrenome é esse. Ou citar uma jukebox com músicas da Galinha Pintadinha? Seriously? Pra mim é inaceitável. São coisas aparentemente pequenas, que talvez passem despercebidas por novos leitores (tanto no hábito, quanto na idade), mas que fazem diferença na experiência de leitura.

Apesar dos detalhes da edição que me incomodaram, a história me agradou bastante. Foi divertido e, repito, leve de se ler. Contudo, esperamos por um final que encerre as problemáticas que são levantadas com o enredo, mas não é isso que acontece. O livro termina faltando contar algo importante! Não vou dizer o que é pra não soltar spoiler, mas foi uma mancada da autora. Também esperei um pouco mais por um aprofundamento, que rolasse uns devaneios mais maduros do Dan, sabe? Algo à la John Green que a gente tanto gosta... Se você está afim de um livro de narrativa rápida e bem agradável Seis Coisas Impossíveis está recomendado! O resultado é muito positivo, ainda mais por ser o primeiro livro de Fiona Wood, que lançou esse ano "Wildlife," seu segundo livro. Espero que a NC o lance no Brasil também!

Nenhum comentário:

Postar um comentário