5 de jul de 2013

Filme: Minha Mãe é uma Peça

Minha Mãe é uma Peça - O Filme


Pra quem, como eu, já curtia o programa 220 volts do canal Multishow com Paulo Gustavo, já era de se esperar uma empolgação enorme pra ver o filme "Minha Mãe é uma Peça." O filme, na verdade, é uma adaptação da peça de teatro homônima, mas dona Hermínia também aparece no 220.

A comédia nacional atraiu mais de 1 milhão de pessoas para os cinemas em menos de dez dias de exibição. Aposto que um amigo seu já comentou com você sobre esse filme! Continua depois do pulo pra saber um pouco mais sobre essa história divertida e que rende bons risos! ;)

Minha Mãe é uma Peça - O Filme

Dona Hermínia (Paulo Gustavo) é divorciada de Carlos Alberto (Herson Capri) e vive com os filhos Juliano (Rodrigo Pandolfo) e Marcelina (Mariana Xavier) num apartamento. Os filhos saem para se divertir com o pai e a madrasta Soraia (Ingrid Guimarães), e Juliano acaba esquecendo a bombinha de asma em casa. Hermínia liga para o filho, que diz que não vai precisar voltar porque há uma bombinha reserva no carro do pai. Juliano esquece de encerrar a ligação e sua mãe acaba ouvindo a conversa que segue com Marcelina dizendo que sua mãe é chata, que foi por isso que seu pai se divorciou dela e que se for pra ser igual a alguém, ela prefere ser como sua madrasta Soraia (detestada por Hermínia!). Ao ouvir isso tudo, Hermínia fica muito magoada e acaba indo para o apartamento de uma tia.

Até aí, bem no começo do filme, já há uma porção de cenas e falas engraçadas, mas é a partir disso que o filme engata. Ao chegar na casa de sua tia, Hermínia começa a desabafar e vamos assistindo a todas as situações com seus filhos que ela relembra. Ela é aquela mãe exagerada e preocupada do ~jeitinho~ dela com as gordices da filha e a sexualidade do filho. Tipo a sua, tipo a minha. É quase impossível não enxergar a sua mãe na tela do cinema em alguma situação.

O destaque, claro, é todo de Paulo Gustavo. Ele e seu exagero ao compor Hermínia, personagem inspirada em sua mãe, roubam toda e qualquer cena. A participação de Samantha Schmütz como a empregada Valdeia foi muito boa. Apesar de toda a comédia, o filme traz uma mensagem muito bonita e rola até um momento de reflexão que, confesso, me encheu os olhos. Não dei tanta risada quanto achei que ia dar, achei que algumas cenas poderiam ser facilmente substituídas por algo que acrescentasse mais ao longa, mas a sensação pós-filme foi muito positiva.

Assista ao trailer:


Nenhum comentário:

Postar um comentário