26 de mai de 2013

Resenha: O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares, de Ransom Riggs


O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares

Título original: Miss Peregrine's Home for Peculiar Children
Editora: Leya | Páginas: 333
Ano de lançamento: 2012
ISBN: 978-85-8044-267-0
"O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares" é o primeiro livro que recebi de parceria com a editora Leya. Quando fui pesquisar sobre o livro, logo me vi atraído pela capa super misteriosa e sinistra. Como se não bastassem título e capa super intrigantes, o livro ainda traz várias fotos bizarras por todos os capítulos. É difícil não se sentir atraído por esta leitura quando se tem tanta coisa interessante para ver.

De início, esperei uma história de terror, e que esse livro fosse um daqueles que você evita ler à noite. Tudo bem que as fotografias são bizarras o suficiente pra gerar esse "medinho," mas o começo do livro é até tranquilo. Mas não cometa o mesmo erro que eu; "O Orfanato" é um livro de fantasia, sobrenaturalidade e aventura. Digo isso porque eu costumo evitar sinopses ao iniciar algumas leituras, e evitei saber muito ao ler esse livro. O problema é que o começo me enganou e me fez achar que a história levaria um rumo totalmente diferente do que foi.

Jacob é neto de Abraham Portman e cresceu ouvindo as histórias estranhas e fantasiosas de seu avô, que passou a infância num orfanato no País de Gales, onde se refugiou da 2ª Guerra Mundial. Abraham mostrava ao neto as fotografias estranhas de crianças com "poderes especiais", crianças com as quais ele cresceu no orfanato. Já aos 16 anos, Jacob encara as histórias de seu avô de outra forma, sem a inocência de acreditar nelas e nos monstros que seu avô afirmava existirem.

Quando Abraham é atacado por um bicho misterioso no quintal de sua casa, Jacob vai até a casa de seu avô e acompanha seus últimos minutos de vida. Nessa última conversa, Abraham parece falar coisas sem sentido para Jacob. Quando seu avô se vai, Jacob verifica pela última vez o matagal dos fundos da casa e é surpreendido pela visão de uma criatura horrenda. Após isso, Jacob é assombrado por pesadelos com a criatura estranha que visualizou, e seus pais acham que o filho enlouqueceu e o garoto passa a se consultar com o Dr. Golan, psiquiatra.


Jacob decide visitar a ilha onde Abraham morou quando criança, para desvendar os mistérios que o perseguem e tentar entender as últimas palavras que seu avô lhe deixou. O Dr. Golan acaba aceitando a viagem e diz ao pai de Jacob que será bom para a recuperação do trauma. Juntos, Jacob e seu pai viajam até uma ilha remota na costa do País de Gales. Lá, ele encontrará o Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares em ruínas, e a partir daí a grande aventura começa.

O livro é contado em primeira pessoa e a narrativa flui bem. As fotografias, assim como a diagramação muito bonita, geram uma experiência de leitura muito legal. Ransom Riggs estima ter visto 10.000 fotos para escolher as aproximadamente 50 contidas no seu romance de estreia. Apesar de todas as atrações, a história não me encantou. Talvez funcionasse melhor pra mim se trouxesse ilustrações em vez de fotografias, já que, como são fotos de arquivos diferentes, acontece de mais de uma pessoa representarem um mesmo personagem, o que acaba interferindo na ligação entre as fotografias e a trama. Contudo, "O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares" é um prato cheio pra quem gosta de aventura com uma boa porção de sobrenaturalidade (e até uma pitada de romance).

Nenhum comentário:

Postar um comentário