27 de jul de 2012

Análise: Negra Li - Tudo de Novo

Negra Li - Tudo de Novo

Negra Li traz "Tudo de Novo", produzido por Rick Bonadio, depois de ter seu primeiro álbum solo lançado em 2006. O anterior, intitulado "Negra Livre" tem ótimas músicas como "Ninguém Pode Me Impedir", "Amar Em Vão", "Mundo Jovem" e "Negra Livre"; mas esse trazia uma atmosfera de rap e hip-hop. Em 2012, Negra Li apresenta outra face de seu trabalho, com músicas que fazem de Tudo de Novo um dos melhores álbuns nacionais da atualidade.

"Eu sempre gostei de tudo, eu sempre fui eclética. Minha história é regada de participações bacanas", disse a cantora em entrevista a MixTV. "Eu já transitei por vários gêneros, e isso me trouxe uma bagagem bacana. Então eu sinto que posso cantar qualquer coisa."

"Tudo de Novo" traz pegadas do pop e pop-rock dos anos 80 e 90, soul e neo soul internacional, R&B, influências do soul de Tim Maia e até passeia pelo jazz! Confesso que não ouço muita música nacional (feliz ou infelizmente), mas Negra Li e os envolvidos na produção desse álbum acertaram em cheio. Vamos para os comentários faixa-a-faixa? Vem!

Negra Li - Tudo de Novo

O álbum se inicia com a faixa Tudo de Novo. É o primeiro single e já teve o clipe gravado. Acho que a música introduz muito bem a "vibe" do disco, com um pop gostoso e que não soa nem tão moderno nem tão ultrapassado. Parece que foi feita sob medida para a voz da Negra Li.

O clima logo fica mais lento com Vai Passar. A música traz uma letra muito boa e super tem cara de música de trilha sonora de novela das 7! Com anáforas e aliterações muito bem empregadas, é uma das mais gostosas de ouvir. "Vai passar, vai passar da hora de dizer, de passar aonde você mora... Eu só sei que, sem ao menos saber, eu andei foi procurando você. (...) Eu só sei que sem sequer perceber, eu andei foi procurando..."

Trazendo um pouco mais de ritmo, o álbum segue com Volta Pra Casa. A música tem uma letra mais "despojada", é mais leve e divertida. "Eu acho que eu vou te buscar, eu acho que vou, eu acho que vou... Eu acho que eu vou te buscar, meu amor! Volta, volta pra mim! Volta pra casa! Volta, volta pra mim! Me ama, me beija e me abraça." É a única em que Negra participou da composição, junto com Khristiano Oliveira.

E Eu é uma das minhas favoritas do álbum! Tem um sonzinho de canção de ninar de fundo, sabe? O instrumental é muito bonito e deliciosamente agradável de ouvir, junto com a voz suave de Negra Li. A letra tem duas estrofes, mas que são suficientes. "Você ficando só no muro, e eu caminhando em círculos... Você é o futuro que passou, e eu vivendo de particípio..." Essa foi escrita por Gisele de Santi, cantora natural de Porto Alegre, e foi gravada por ela no seu álbum de 2010, numa versão tão calminha e bonita quanto.

Não Vá traz o estilo inconfundível de Tim Maia. "Você precisava andar mais perto. Sair por aí, saber mais de mim, das coisas que eu quero e que eu guardo aqui... Não vá, não vá, não! Que está tudo apenas começando..." O romantismo continua com Posso Morrer de Amor. "Caminhando para o Sul, lá vai meu coração tão despedaçado... Tiro a cor desse céu... Faz ele voltar feito uma vitória..." O clima se acalma de novo com uma regravação de Fotografia, de Léo Jaime e Leoni. A versão ficou muito boa, com piano e bateria bem equilibrados.

Trazendo um clima mais contemporâneo o álbum segue com Mais Que Um Olhar, uma composição de Di Ferrero e Gee Rocha, da banda NX Zero. Se você souber, antes de ouvir o disco, que há uma música dos dois, fica fácil saber que é Mais Que Um Olhar. A letra é inconfundível. A faixa não levou tanto rock quanto provavelmente levaria se fosse interpretada pelo NX Zero, mas ficou muito bacana e trouxe um pouco mais da Negra de "Negra Livre". Foi um superacerto! Só faltou um dueto com o Di. Ia ficar ainda mais legal! :)

Hoje Eu Só Quero Ser Feliz volta com o estilo de Tim Maia. "Vou deixar a vida me levar, e aceitar as coisas como são. Te quero do meu lado seja como for. Vou fazer diferente, vou deixar acontecer. Hoje eu só quero ser feliz." Como Iguais é pura poesia. A música traz uma mensagem muito boa e, de quebra, um jazz gostoso de se ouvir! "Um lugar onde todos se veem como iguais. Porque só os iguais podem ser diferentes. Um lugar onde todos se veem nos demais. Porque é olhando os demais que enxergamos a gente." Foi composta por Sérgio Britto (Titãs), que também assina as anteriores Vai Passar e Não Vá.

Culto de Amor é uma composição de Edgard Scandurra (ex-guitarrista do Ira!) e Taciana Barros. A música já foi gravada no álbum solo de Edgard, intitulado "Amigos Invisíveis", de 1989. A canção finaliza o álbum num clima intimista e calmo, quase oposto à primeira faixa, o que faz você ter vontade de ouvir tudo de novo (o trocadilho não foi proposital!).

Tudo de Novo é um grande acerto, revelando a versatilidade de Liliane de Carvalho, a Negra Li. É um álbum muito bem produzido, e muito bem sucedido nas escolhas das composições. Vale a pena ouvir e divulgar para os amigos e parentes, dos mais novos aos mais velhos. É novidade com gosto do que já passou.

Nota: 10
Destaque para as faixas: Tudo de Novo, Vai Passar, E Eu, Posso Morrer de Amor, Mais Que Um Olhar e Como Iguais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário