10 de dez de 2010

Análise - As Crônicas de Nárnia: A Viagem do Peregrino da Alvorada


Depois de mais de 2 anos após o lançamento do segundo filme da série, "As Crônicas de Nárnia: A Viagem do Peregrino da Alvorada" chegou hoje aos cinemas. Dessa vez distribuído pela Fox em vez da Disney, que desistiu da franquia depois de arrecadação insatisfatória em Príncipe Caspian. Os fãs de Nárnia, obviamente, estavam muito ansiosos pela estreia, e essa é a crônica favorita de muitos deles.

Quando o primeiro trailer foi divulgado fiquei bem animado para ver o filme, e a partir daí fui acompanhando os trailers seguintes (que não tinham muita novidade). Depois disso comecei a ler a crônica, e logo percebi que não seria uma tarefa fácil adaptar a história para o cinema, por que ela é formada por tramas rápidas e pouco interligadas. Mas, em compensação, traz cenários incríveis que abrem um leque imenso para a produção.

Na semana de estreia, muita gente já tinha assistido ao filme antes do dia 10, e as primeiras críticas não foram nada animadoras. E eu, apesar de gostar muito da série, sabia que me decepcionaria um pouco. Enfim, hoje assisti ao filme em 3D no Maceió Shopping na sessão de 13:30. Infelizmente tive que optar pela versão dublada, por que as vesões legendadas são de 21:00 e 21:45 nos dois cinemas em que estão disponíveis. Então aí vai a minha análise, impressões e opiniões!

A história do livro, no geral, foi alterada, mas a essência foi totalmente mantida. A alteração foi feita justamente para ligar as tramas, e foi uma boa, por que se a história tivesse sido filmada exatamente como conta o livro, as críticas iam ser muito piores. No filme, Lúcia e Edmundo voltam à Nárnia com seu arrogante e esnobe primo, Eustáquio. Juntos reecontram Caspian, agora rei de Nárnia. À bordo do navio Peregrino da Alvorada, eles vão em busca dos sete lordes desaparecidos de Telmar. Durante o percursso as aventuras são diversas. Perigos, novas terras a serem exploradas e, claro, muita magia!

Não vá ao cinema procurando uma grande produção, aliás, 40 a 50% dos efeitos não são lá tão legais. A maquiagem e a iluminação poderiam ser melhores, e a coloração do filme, se fosse mais sombria, daria um clima de suspense bem melhor à tudo. As cenas escuras só acontecem quando, de fato, é noite. Mas A Viagem do Peregrino da Alvorada não se trata disso; vai mais fundo. A trama é repleta de lindas mensagens e lições, que talvez possam ser melhor percebidas por cristãos, mas se encaixam na vida de todos. Ah, o ator Will Poulter merece meus elogios pela ótima interpretação. O seu personagem, Eustáquio, tem destaque total na trama, tanto pelas situações cômicas quanto pela grande lição que o envolve. O mesmo ocorre com o ratinho valente Ripchip. Vale a pena!

Quando for assistir à este filme, esteja atento às filosofias, mensagens e lições. Isso é o que ele oferece de melhor. A versão 3D não traz muita novidade quanto à "coisas saindo da tela", só dá uma melhor percepção dos ambientes, o que é até bom para os detalhistas. Mas não se desanime pelo visual! A produção não é extravagante, mas tem belíssimos cenários, afinal, estamos falando de Nárnia! Ah, se o Mar de Lírios existisse!

Eu daria um nota 6 se não fosse a atuação muito boa do calouro Will Poulter, as mensagens e o final MUITO bonito e emocionante, ao som de "There's a Place for Us", música tema escrita e interpretada por Carrie Underwood. Não é o melhor dos 3 já lançados, mas merece uma nota 8.

Nenhum comentário:

Postar um comentário