23 de jul de 2010

Pretty Little Liars


Numa mistura de "Gossip Girl" com "Eu Sei O Que Vocês Fizeram no Verão Passado", Pretty Little Liars estreou no dia 8 de junho nos EUA pelo canal ABC Family. A série que teria apenas 10 episódios na sua primeira temporada, ganhou mais 12 pelos resultados satisfatórios.

Depois de ter desistido de Gossip Girl no início da 3ª temporada, confesso que as séries teen não me atraíam mais. Depois de Grey's Anatomy e toda sua maturidade é difícil aguentar "coisas de adolescente", acredite. Mas por algum motivo me interessei por Pretty Little Liars, vi a sinopse da série e gostei.

A história é baseada nos livros de Sara Shepard. Alison, Aria, Hanna, Emily e Spencer são 5 melhores amigas e formam um grupo popular na Rosewood High School, numa pequena cidade. Após uma festa do pijama Alison desaparece. Misteriosamente, as quatro garotas começam a receber mensagens, que só Alison poderia saber, assinadas por "A".

Os dois primeiros episódios são fracos, com um pouco de clichê, mas agradam. Atualmente com 7 episódios, a série amadureceu muito. As personagens protagonistas mantêm as características de adolescentes, mas são muito mais "cabeças" do que os personagens de Gossip Girl. A série também ganha de Gossip por não ter, pelo menos até agora, troca-troca de casais; e o mistério das mensagens da "A", da Jenna e do Toby dão uma diferenciada grande na atração.

Se souberem revelar o grande segredo da série na hora certa, sem encher linguiça pela alta audiência, Pretty Little Liars pode ficar cada vez melhor e terminar em boa forma. Quantas temporadas será que as pequenas mentirosas conseguem?

Se liga:
Livros de Pretty Little Liars chegam ao Brasil em setembro

1 de jul de 2010

Análise: Claudia Leitte - As Máscaras


É com  "As Máscaras" que Claudia Leitte dá início de verdade à sua carreira solo. O álbum "Ao Vivo em Copacabana" já não leva o nome da sua ex-banda Babado Novo, mas é nesse mais novo CD que a cantora mostra a que veio. O álbum tem 14 faixas, entre estas composições de Latino e Carlinhos Brown, e versões de músicas escritas e primeiramente interpretadas por Henrique Cerqueira.

O que mais se fala sobre esse lançamento é a mistura de ritmos ou o "afastamento do axé", e Claudia Leitte afirma que não abandonou o ritmo, mas que "As Máscaras" é eclético assim como o seu gosto musical. Vamos à análise das canções! Ah, quase me esqueço de uns comentários... A capa do CD foi escolhida pelos fãs entre estas duas opções:


E que capas, hein?! Um exagero de design, como se o autor estivesse utilizando tudo que aprendeu recentemente... Vixe! Mas até já me acostumei... O álbum vazou na internet (pra variar) bem antes do lançamento, e eu gostei porque estava bem ansioso pra ver o resultado, então vamos, finalmente, a ele (pela ordem das faixas):

As Máscaras, que dá nome ao disco, abre muito bem com seu axé-pop. A música foi lançada ano passado e foi o hit de Claudia Leitte para o carnaval deste ano. Ela tem uma energia gostosa e fala basicamente sobre se libertar, sentir a música e se deixar levar!

Famo$a é uma versão da música Billionaire do Travie McCoy (eu até vos informei sobre este lançamento nesse post aqui). Muitos têm reclamado, massacrado e desprezado essa versão, mas eu, particularmente, gostei; talvez porque não tinha ouvido a versão original antes (isso poderia mudar minha opinião drasticamente). Em Billionaire o cantor Bruno Mars ocupa o lugar da Claudia Leitte em Famo$a, mas as falas do Travie estão presentes nas duas. A letra fala de uma mulher indecidida entre seguir sua carreira rumo à fama ou construir uma família com o homem que ama, tem citações do Big Brother Brasil, Jô Soares e Hebe Camargo, ficando bem "abrasileirada".

Trilhos Fortes e Paixão têm uma melodia agradável ao som da percussão bem reggae, seguem com ritmos mais suaves e lentos. A primeira fala sobre fé e seguir em frente e a segunda sobre uma paixão fervorosa.

Negou o Nagô traz de volta um ritmo mais animado do axé para o CD. Eu gostei da harmonia da música e da letra engraçada sobre um cara que nega o nagô, sua raça, sua cor dando luzes no cabelo pra esquecer uma paixão. Está entre as melhores.

Sincera? Sinceramente é uma chatice. Foi composta pelo Latino (tá explicado!) e parece que foi feita pra o funk, imagino a Perlla interpretando... Tem ritmo saturado, letra boba e é um erro no álbum.

Don Juan tem a participação do cantor Belo e é uma música de Henrique Cerqueira (da antiga Pimentas do Reino e autor de "Pensando Em Você"). Nela o indivíduo revela sua paixão por uma amiga, mostrando que quer mais que amizade. Não acho legal essas regravações... ficou bonita, mas vejo como uma tentativa de sucesso com o que já é sucesso. No final é a Claudia que leva todo o "mérito" pela música, quando muita gente já a conhecia na voz do Henrique.

Flores pra Favela é tão boa quanto Negou o Nagô, e vejo as mesmas qualidades nas duas, de harmonia entre música e letra e jogos fonéticos. Mas esta tem um ritmo mais leve, mais suave e gostoso, com toques de gaita... muito boa! A letra expressa a confusão, a delícia e tudo que uma paixão deixou na cabeça do indivíduo, que passa a ver sua amada em tudo.

Água, Xô Perua e Ruas Encantadas não me atraíram. Tem letras e melodia fracas... Talvez funcionem em versões ao vivo no próximo DVD.

Faz Um foi composta por Carlinhos Brown e fala do orgulho do brasileiro pelo futebol. Tem ritmo legal e letra curta e bacana. No ano da copa se encaixa muito bem. "Meu grito de guerra é o grito de gol! Faz um, mais um!" Sim, queremos gol! Gostei. Se encaixaria muito bem em campanhas, comerciais...

Dum Dum é uma mistura de reggae com efeitos sonoros digitais. É legal, mas fica saturada se você escutar o álbum do começo ao fim. Então não faça isso, escute-a fora de ordem! "Dum dum, dum dum, pra sempre vou te amar..."

Crime é outra composição de Henrique Cerqueira. Música e letra belíssimas, caiu bem na voz da Claudia, mas tenho a mesma opinião que dei em Don Juan sobre regravá-la. "E se amar você é um crime eu aceito a sentença, porque amar você é um crime, é um crime que compensa!" Não sei se encerra bem o álbum; penso que ele deveria terminar com uma música mais animada.

Dou uma nota 7 para o álbum, numa escala de 0 a 10.
Melhores faixas pela ordem do disco: As Máscaras, Famo$a, Trilhos Fortes, Negou o Nagô, Don Juan, Flores pra Favela e Crime.